17.6 C
Distrito Federal
sexta-feira, 23 julho, 2021 - 23:26 PM

“Não aceito Marcola preso em Brasília”, diz Ibaneis Rocha a Sérgio Moro

Por Toni Duarte

O governador Ibaneis Rocha, que se encontra nesta sexta-feira em São Paulo reagiu duro contra a transferência do líder do PCC Marcos Camacho o “Marcola” e mais três comparsas para o presidio federal de segurança máxima ao lado da Papuda. Em contato com o ministro da Justiça Sérgio Moro e com a corregedora, desembargadora Maria do Carmo Cardoso, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), Ibaneis tenta reverter a situação

“Marcola, aqui não! ”, reclamou pelo telefone o governador Ibaneis Rocha ao ministro da Justiça Sergio Moro após a chegada de quatro líderes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Eles foram transferidos, hoje (22), da Penitenciária Federal de Porto Velho, em Rondônia, para a Penitenciária Federal de Brasília, perto do Presídio da Papuda.

Além de Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, integram o grupo Cláudio Barbará da Silva, Patrik Wellinton Salomão, e Pedro Luiz da Silva Moraes, o Chacal. Só santinho!

O chefe da maior facção criminosa do país, o PCC, havia sido transferido de São Paulo para Rondônia, no mês passado, após a descoberta de um plano de fuga de presídios paulistas envolvendo Marcola e o grupo criminoso.

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, está revoltado com a decisão da Justiça Federal de transferir os criminosos para o presídio de segurança máxima, recém-inaugurado dentro da área do Complexo Penitenciário da Papuda.

O Chefe do Executivo Local condenou a construção de um presidio  para abrigar bandidos perigosos em uma região urbana que fica a poucos quilômetros dos três poderes da República.

“Isso é um absurdo. Um erro”, disse o governador lembrando que a presença dos líderes do PCC, presos em  Brasília, atrairá a presença de criminosos de sua facção para aterrorizar o DF.

Ele disse que quer discutir o assunto, pessoalmente, com Sergio Moro e com a corregedora desembargadora Maria do Carmo Cardoso, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1). O objetivo é  tentar reverter a decisão.

Afirmou que um  simples anúncio da  chegada de Marcola, a Polícia Civil do DF tem efeituado prisões de  criminosos ligados ao PCC como ocorreu com um grupo de oito bandidos no início da semana.

O governador  teme que  bandidos de outras regiões, ligados a facção de Marcola se mudem para o DF e cidades do Entorno para emitir um “salve geral”, como são chamadas as ordens de ataques contra prédios públicos e agentes de segurança, com a intenção de gerar terror e demonstrar insatisfação.

“Os brasilienses e as instituições do Distrito Federal precisam se posicionarem  contra a permanência de Marcola em um presidio de Brasília”, disse Ibaneis.

Fonte: Radar-DF

Continue Lendo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Redes Sociais

22,042FãsCurtir
0SeguidoresSeguir
0InscritosInscrever
- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -