12.6 C
Distrito Federal
domingo, 25 julho, 2021 - 07:32 AM

Governo reduz ICMS para manter empresas atacadistas instaladas no DF

Medida deverá também incrementar a arrecadação de impostos e atrair novos investimentos

O governador Ibaneis Rocha assinou nesta segunda-feira (1) decreto que institui no Distrito Federal a alíquota de 3% de arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para o comércio atacadista do DF. A tributação, até então, era de 5%. A medida cria uma isonomia fiscal, ou seja, estabelece regras semelhantes ao benefício já concedido pelo Governo de Goiás a empresas do mesmo porte em atividade naquele estado.

Com a assinatura, Ibaneis equipara o DF ao estado vizinho e evita que empresas instaladas por aqui se transfiram para Goiás, em busca de uma carga tributária menos onerosa. As regras propostas tornarão o mercado local mais atraente também para novos investimentos, com possibilidades, inclusive, de incremento da arrecadação de impostos do GDF e o aumento do emprego e da renda.

“É um momento de reequilíbrio. Equilibrar as contas nessa região, trazer instrumentos de investimentos conjuntos vão ajudar não só o DF, como Goiás e Minas Gerais”, afirmou o governador.

O decreto dispensa a celebração de convênio do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) que rege a concessão ou revogação de isenções, incentivos e benefícios fiscais e financeiros do ICMS. O órgão é o colegiado formado pelos secretários de Fazenda, Finanças ou Tributação dos 26 estados brasileiros e do Distrito Federal, com reuniões presididas pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

Difal
Na mesma ocasião, o governador assinou projeto de lei do Executivo que extingue o Diferencial de Alíquota (Difal) em operações realizadas por optantes do Simples Nacional. O objetivo da revogação é eliminar a cobrança do ICMS – correspondente à diferença entre a alíquota interna e a interestadual – nas operações com mercadoria proveniente de outra unidade da federação destinadas a contribuinte do imposto estabelecido no Distrito Federal e optante pelo Simples Nacional.

Acompanhado de secretários de estado e autoridades, Ibaneis seguiu a pé do Palácio do Buriti à Câmara Legislativa, onde entregou pessoalmente ao presidente da Casa, deputado Rafael Prudente, o projeto de extinção da Difal.

A implementação da medida é uma forma de promover a justiça fiscal e, ao mesmo tempo, fomentar o desenvolvimento dos pequenos negócios, de forma a contribuir para a estabilização e aquecimento da economia do DF, com a geração de emprego, renda e melhoria da competitividade do micro e pequeno empreendedores.

Destravamento
De acordo com o secretário de Fazenda, Planejamento e Gestão, André Clemente, a medida tira travas e estanca o fechamento de empresas que, nos últimos anos, foram sobrecarregadas pela carga fiscal no DF. “Isso coloca o atacado em igualdade com empresas de outros estados”, acredita.

Embora a renúncia fiscal – estimada em R$ 80 milhões ao ano – possa impactar negativamente as receitas tributárias do Distrito Federal em um primeiro momento, a tendência é que no médio e longo prazos haja aumento da arrecadação, diante da queda da sonegação.

HÉDIO FERREIRA JÚNIOR, DA AGÊNCIA BRASÍLIA

Continue Lendo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Redes Sociais

22,042FãsCurtir
0SeguidoresSeguir
0InscritosInscrever
- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -