- PUBLICIDADE -

O ASSUNTO É

Em obras, Palácio Conde dos Arcos continua recebendo visitantes

A reforma emergencial do Palácio Conde dos Arcos, unidade da Secretaria de Estado de Cultura (Secult) localizada na cidade de Goiás, está em ritmo acelerado, mas o local continua aberto a visitantes. A obra, que começou no início do mês, vai receber um investimento total de mais de R$ 265 mil do Governo de Goiás.

A contratação da empresa, com informe publicado no Diário Oficial do dia 05 de maio, foi realizada por meio de um procedimento aquisitivo, seguindo as normas da Lei nº 8.666/93 e Lei nº 17.928/12. O contrato abrange não só a reforma, mas ainda a emissão de laudos, atestados, projetos de reforço estrutural e de fundação e restauração.

Mestres de obras e serventes têm trabalhado, nesta primeira etapa, na troca do assoalho de madeira da ala residencial e apenas esse local segue fechado para a visitação. Servidores da Gerência de Fiscalização e Manutenção de Obras do Patrimônio Cultural já estiveram na unidade para vistoriar a reforma.

Sede do Governo de Goiás por mais de 180 anos, o Palácio Conde dos Arcos começou a ser construído em 1751, em estilo barroco, para ser residência do primeiro governador da capitania de Goiás, Dom Marcos de Noronha (conhecido como o Conde dos Arcos). No entanto, com a mudança da capital para Goiânia, em 1937, o prédio passou a abrigar a Prefeitura da cidade. Em 1961, no governo de Mauro Borges Teixeira, o local foi transformado em monumento histórico e residência de inverno de governadores.

Preservação do patrimônio

O Palácio é uma das unidades da Secult que foram contempladas com o Projeto Fé, Religiosidade e Devoção, que vai investir 33 milhões na revitalização, musealização e restauração de cinco unidades culturais e nove igrejas. O objetivo é preservar e promover a cultura goiana. Após a realização da obra emergencial, o local também passará por uma restauração completa. A Secult já liberou R$ 6 milhões para a revitalização do edifício e o processo licitatório já foi iniciado.

As demais unidades que serão restauradas por meio do projeto são: Museu Palácio Conde dos Arcos, Centro Cultural Marietta Telles, Museu Ferroviário de Pires do Rio, Museu Zoroastro Artiaga e Teatro Goiânia.

Já as igrejas contempladas no projeto são: Nosso Senhor do Bonfim (Pirenópolis), Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos (Jaraguá), Igreja de São José (Mossâmedes), Igreja de São João Batista (Arraial de Ferreiro – Goiás), Igreja de Santa Bárbara (Goiás), Igreja de Nossa Senhora Aparecida (Povoado das Areias – Goiás), Igreja Nossa Senhora do Rosário (Luziânia), Igreja Nossa Senhora Aparecida (Aparecida de Goiânia) e Igreja Nosso Senhor do Bonfim (Silvânia).

Fonte: Secretaria de Estado da Cultura (Secult) – Governo de Goiás

Fonte: Portal Goiás

- PUBLICIDADE -

Últimas

- PUBLICIDADE -

Continue Lendo
Relacionadas

Com apoio de R$ 11 milhões do GDF, escolas de samba se preparam para 2023

Ações como o Edital de Apoio das Atividades Carnavalescas...

Metrô fecha neste domingo (12) para manutenção corretiva

Operação será suspensa temporariamente para troca de equipamento localizado...

Igrejas reconhecem empenho do governo em atender demandas

Padres de Taguatinga, Ceilândia e Samambaia se reúnem com...