- PUBLICIDADE -

O ASSUNTO É

No Rio, caminhada no Leme dá largada a projeto de incentivo à saúde

Para incentivar a atividade física como forma de prevenção a doenças, o Ministério da Saúde lançou hoje (15) o programa Incentivo de Atividade Física (IAF) para a Atenção Primária à Saúde.

O evento ocorreu na orla do Rio de Janeiro, com uma caminhada do Leme ao Copacabana Palace, na zona sul da cidade, além de atendimento à população para orientação sobre alimentação saudável, combate ao tabagismo e prática de atividades físicas.

De acordo com o Ministério, até o fim do ano serão investidos R$ 100 milhões no programa, que chegará, neste primeiro momento, a 7,5 mil unidades básicas de saúde de 5 mil municípios. Os recursos serão usados para incentivar a contratação de profissionais de educação física, readequação de espaços para a prática de exercícios e compra de materiais. Para o próximo ano, a previsão é investir mais R$220 milhões.

O ministro Marcelo Queiroga explicou que o investimento em atividade física tem retorno garantido na prevenção ao desenvolvimento de uma série de doenças crônicas.

“A atividade física é uma forma de promover a saúde, de reduzir mortalidade por doenças cardiovasculares, o câncer, e promover uma diminuição de fraturas. Também fortalece a musculatura e o sistema ósseo articular fica menos vulnerável. É bastante custo efetivo. Não é nenhum tratamento caro, de um medicamento dito inovador, produzido pela indústria, que vai custar milhões de reais. É uma ação simples, com os profissionais de educação física orientando a prática correta de atividade física, que vamos mudar indicadores de saúde de maneira muito custo efetivo.”

Os municípios que queiram aderir ao programa podem credenciar a partir de amanhã (16) as unidades de Atenção Primária à Saúde (APS), pelo portal e-Gestor.

ConecteSUS

O ministério também lançou hoje a funcionalidade Peso Saudável no aplicativo ConecteSUS, o mesmo utilizado para comprovar a vacinação contra a covid-19. Com o objetivo de estimular hábitos saudáveis, a ferramenta conta com o Programa 12 Semanas, que vai passar orientações aos usuários sobre alimentação e atividade física.

“Trata-se de recurso para o autocuidado, onde o usuário será estimulado a ter melhores hábitos de vida. Para isso, a cada uma semana, o participante receberá orientações e desafios relacionados às duas temáticas, sendo possível registrar os desafios já cumpridos e acompanhar o progresso”, disse a pasta.

Dados

De acordo com o Ministério da Saúde, a prática regular de atividade física contribui para a proteção e combate às Doenças Crônicas Não Transmissíveis, como câncer de mama e de cólon, diabetes, cardiopatia e acidente vascular cerebral.

No Brasil, dados do ano passado mostram que 48,2% da população com 18 anos ou mais das capitais não praticavam o mínimo de atividade física semanal recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), com maior sedentarismo entre as mulheres (55,7%) e os idosos (73,0%).

A estimativa do ministério é que, no Brasil, 15% do total de internações pelo Sistema Único de Saúde (SUS) seja atribuído à inatividade física.

Fonte: Agência Brasil

- PUBLICIDADE -

Últimas

- PUBLICIDADE -

Continue Lendo
Relacionadas

Com apoio de R$ 11 milhões do GDF, escolas de samba se preparam para 2023

Ações como o Edital de Apoio das Atividades Carnavalescas...

Metrô fecha neste domingo (12) para manutenção corretiva

Operação será suspensa temporariamente para troca de equipamento localizado...

Igrejas reconhecem empenho do governo em atender demandas

Padres de Taguatinga, Ceilândia e Samambaia se reúnem com...